Prácticas

durante la pandemia

COVID -19

Son prácticas que se establecen en continuidad con las estrategias del tratamiento comunitario y, en este marco, contemplan la innovación producida por el fenómeno COVID-19

Son prácticas concretas: servicios para la población, basadas en necesidades reales manifestadas

Son prácticas que buscan producir conocimiento acerca del fenómeno COVID-19: conocimientos sobre el impacto que este fenómeno tiene en las vidas de las personas y de sus comunidades, sobre sus condiciones de vulnerabilidad y estilos de vida y modalidades no formales de organizar la vida social en lo cotidiano.

Son prácticas que buscan generar sintonía y colaboración entre todos los actores que participan.

Son prácticas en las cuales hay una alta participación de actores comunitarios

Buscan activamente proteger, mantener o reparar el tejido relacional de las personas, de su entorno social no confundiendo distancia física con distancia social.

Brasil

prácticas durante la pandemia por COVID-19

GRUPO ESPÍRITA CASA DA SOPA

Fortaleza

¿POR QUÉ?
Com o isolamento social, as fontes de recurso da população em situação de rua/ vulnerabilidade socioambiental se esvaziaram. Sem comércio e sem circulação de pessoas, essas populações só podem contar com o amparo assistencial das instituições e iniciativas solidárias em geral.

PROCESO
Parcerias  com  uma  liderança  comunitária, que mobilizou todo um corpo de voluntários para conduzir las atividades de  quarta  a sábado, enquanto que a Casa da Sopa fica là frente nas segundas,  terças e domingos.Outra liderança fornece a mão de obra qualificada em saúde, de modo que o ambulatório  atende  de  segunda a sábado com médicos(as) le enfermeiros(as).  Além disso,  mobilizamos  lideranças  na  própria comunidade para servirem como:

www.casadasopa.org.br • contato@casadasopa.org.br •
@grupoespiritacasadasopa •+55 85 99747-1492

¿PARA QUÉ?
Organizar os efeitos da crise nas populações atingidas, em especial no que diz respeito à segurança alimentar, higiene básica, acesso à saúde e acesso a direitos

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Todos os recursos são obtidos através
da RSC e RRC, a  partir  de campanha  lançada  nas  redes sociais para arrecadação de recursos, recrutamento de voluntários e mobilização de parceiros na própria comunidade

COLETIVO ARRUAÇA

Fortaleza

¿POR QUÉ?

Pelo alto índice de vulnerabilidade e exposição ao risco da doença, pela ineficácia das políticas públicas, com relação ao atendimento do público (pessoas em situação de rua).

PROCESO

Ações de saúde, com atendimento médico, com voluntários da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares, ambulatório com enfermeira cedida pelo Instituto Compartilha, Pias móveis desenvolvidas por professores e alunos da Universidade Federal do Ceará em parceria com coletivo Arruaça.

ELEMENTOS DIFERENCIADORES:

Trabalho em rede Criação de tecnologias sociais Articulação e mobilização com a sociedade civil

¿PARA QUÉ?
Para garantir acesso a saúde e cuidados essenciais.

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Oferta de 400 refeições diárias com apoio de doações da sociedade  civil,  professores  da  Universidade Federal do Ceará e Empresa Mamilar, disponibilização de banheirospara higiene pessoal e banhos, entrega de doações de roupas, kits de higiene e proteção, com voluntários do Coletivo Arruaça, Grupo Espírita Casa Sopa e Instituto Compartilha

@andrefoca • @arruacacoletivo • @institutocompartilha • +55 85 99741-1492 • arruacacoletivo@gmail.com

ASSOCIAÇÃO FRATERNIDADE

Teresina

¿POR QUÉ?

Buscar ativamente proteger, manter ou reparar o tecido relacional de pessoas, de seu entorno social neste momento de forte foco na distância física.

PROCESO

Uma líder comunitária que é costureira produz mascarilhas para a sua família. A Fraternidade estabelece uma relação com ela e pergunta para ela organizar uma equipe de costureiras do bairro para produzir mascarilhas. Os voluntários que preparam e levam a comida, Levando mascarilhas e insumos de higiene, Verificando o estado de saúde das pessoas, Dialogando com o seu entorno relacional para manter coesas as redes de relações. Comida como forma de pago pelo seu trabalho.

ELEMENTOS DIFERENCIADORES:

Utilizar capacidade da comunidade de se organizar para garantir segurança alimentaria, na saúde, na vida social, no conhecimento da pandemia, na produção de insumos de proteção com o empreendedorismo local.

¿PARA QUÉ?
Responder as necessidades das pessoas gravemente vulneráveis na alimentação e higiene.

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Essas ações fazem parte de projetos regulares da organização, continuando com caminhos diferenciadas. Alguns financiadores apoiaram com recurso extra para ajudar na situação do Corona Virus

www.associacaofraternidade.org.br/ • +558699482542

COLETIVO BARBA NA RUA

Brasilia

¿POR QUÉ?

Para reduzir o sofrimento e prevenir a população  de rua de contato com o vírus, oferecendo ajuda para conquista de abrigos e alimentação

¿PARA QUÉ?
Fornecer atenção básica com abrigo, alimentação e cuidado com a saúde

PROCESO

Organização e empoderamento da população de rua

ELEMENTOS DIFERENCIADORES:

Por doação, e articulação para atendimento do poder publico

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Por doação, e articulação para atendimento do poder publico 

ASSISTA O VIDEO:

http://bit.ly/2Yyh3z7

barbanarua@gmail.com • @barba_rogerio
+55 61 8363-8161

CONEXÃO MUSAS

São Paulo / Sorocaba / São José dos Campos e Campinas

¿POR QUÉ?

Mujeres em Situación de calle, jefes de familia e víctimas de violencia están con dificuldades de conseguir ingresos económicos e al mismo tiempo tienen recursos para producir mascarillas

PROCESO

Reconocimiento de las habilidades y manualidades de las mujeres; organización de los grupos de trabajo; escoja de los modelos ; estructuración de un sistema de trabajo; elaboración de un plan de trabajo; sensibilización de donantes; venta de mascarillas; donaciones en la calle

ELEMENTOS DIFERENCIADORES:

Recursos de las mujeres supuestamente vulnerables; comunicación e creación de processos didáticos através de celulares; mujeres multiplicadores en comunidades; mujeres apoyan educadores de calle para distribución mascarillas

¿PARA QUÉ?
Garantizar renda mensal y un fondo reserva a mujeres en extrema vulnerabilidade que vivem de subsidios del gobierno y de sus ventas como micro empreendedoras (las cuales dejaran de existir en función de la cuarentena )y también ofrecer como donación a las personas que viven en la calle

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Donantes y venta para clientes e empresas

@conexaomusas • www.institutoempodera.org.br/musas

GRUPO ADOLESCER

Recife

¿POR QUÉ?

O Grupo AdoleScER trabalha com Tratamento Comunitário e educação entre pares com crianças, adolescentes e jovens e as suas famílias em lugares de vulnerabilidade social. Em tempos de corona vírus tenta fortalecer essas comunidades a partir das suas possibilidades, onde é o foco a educação entre pares.

PROCESO

Entender e usar ferramentas de trabalhar a distancia e entender que as metodologias que o Grupo AdoleScER usa, em uma situação de pandemia como a do Covid-19, são úteis e valorosos para trabalhar com a população das comunidades.

¿PARA QUÉ?
Minimizar a necessidade, evitar que passem fome, integrar a comunidade, articular recursos dentro da própria comunidade para que uns cuidem dos outros

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Através da Articulação com grupos voluntários, empresas e pessoas que querem doar alimentos e outros itens, colocando-nos a disposição para organizar a identificação de quem mais precisa e a distribuição para que não haja aglomeração.

ELEMENTOS DIFERENCIADORES:

Multiplicação, coordenação,  trabalho  em conjunto,   apoio,   cuidado, prevenção, Educação entre Adolescentes Pares 

grupoadolescer@adolescer.org.br
http://www.adolescer.org.br/

en tiempos de COVID-19